Ministério das Relações Exteriores
Política

Observadores consideram eleições pacíficas no Zimbabwe

O também ministro angolano das Relações Exteriores disse que as eleições de 30 de Julho vão consolidar definitivamente o processo de transição política no Zimbabwe, iniciado em Novembro do ano passado, com a renúncia do Presidente Robert Mugabe.

“Com a realização destas eleições, esta transição fica definitivamente legitimada, independentemente de quem venha a ganhar o pleito”, sublinhou.

Manuel Augusto, que fazia um balanço preliminar do trabalho da missão de observação da SADC às eleições gerais harmonizadas no Zimbabwe, reafirmou que os zimbabweanos têm agora o caminho aberto para a consolidação da democracia e do desenvolvimento económico e social harmonioso do país.

Até esta segunda-feira, o ministro Manuel Augusto era representado na chefia da Missão de Observação Eleitoral da SADC no Zimbabwe pelo secretário de Estado das Relações Exteriores, Tete António.

Angola preside ao órgão de Defesa e Segurança da SADC.

O secretário de Estado para as Relações Exteriores procedeu ao lançamento da Missão de Observação Eleitoral da SADC no dia 21 de Julho.

A Missão, composta por 63 observadores, iniciou o seu desdobramento no dia 23 de Julho, cobrindo as dez províncias do Zimbabwe.

Chefiada por Angola, integram a Missão de Observação da SADC a África do Sul, Botswana, República Democrática do Congo (RDC), Lesotho, Malawi, Ilhas Maurícias, Moçambique, Namíbia, Tanzânia e Zâmbia.