Ministério das Relações Exteriores
Política

Angola e Bélgica oficializam consultas regulares

O instrumento jurídico permitirá que de forma regular os dois países possam analisar a cooperação bilateral e temas sobre a actualidade internacional que diz respeito a cada um dos países.

Nesse quadro, os assuntos regionais terão relevância, afirmou o ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, no final do acto.

Mais do que um memorando “tivemos conversações em que foram discutidas diversas questões do interesse dos dois estados”, declarou o ministro dos Negócios Estrageiros do Reino da Bélgica, Didier Reynders, co-signatário do entendimento.

No encontro entre os dois chefes da diplomacia foi também analisada o “Brexit”, abreviação das palavras em inglês Britain (Grã-Bretanha) e exit (saída). Designa a saída do Reino Unido da União Europeia.
Relativamente a África foi abordada a situação política na região, nomeadamente no Burundi e na RD Congo.
Sobre o Burundi ficou estabelecido que tudo será feito para a implementação do acordo de Arusha, considerado o único quadro legal para os problemas políticos daquele país da África Central.

O Acordo de Paz e Reconciliação de Arusha, assim nomeado devido a cidade de Arusha na Tanzânia, é um instrumento de paz para o Burundi assinado a 28 de Agosto de 2000 e que põe fim a Guerra Civil naquele país.

Sobre a RD Congo, o governante angolano informou que convergiram em ajudar as autoridades congolesas para que as eleições marcadas para 23 de Dezembro deste ano possam decorrer de forma aberta, transparente e inclusiva.

João Lourenço e Rei Philipe

O Chefe de Estado angolano, João Lourenço encontrou-se com o Rei Philipe, a vice-presidente da União Europeia, Federica Mogherini, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, e com o secretário-geral do Grupo África-Caraíba-Pacífico, Patrick Gomes. Nos referidos encontros não foram permitidas cobertura jornalística.

Última etapa da visita à Bélgica

O Presidente João Lourenço desloca-se nesta terça-feira 5, à Antuérpia, uma cidade conhecida como centro mundial de lapidação de diamantes e pelo seu porto, um dos maiores do mundo, localizado nas margens do rio Escalda.

Em Antuérpia o estadista angolano vai visitar, entre outras instituições, uma empresa de importação e exportação de diamantes, a bolsa de valores e o porto local.

No foco da deslocação a Bélgica, segunda etapa de uma digressão europeia, está o reforço dos laços entre os dois Estados.

Em 35 anos de cooperação foram rubricados quatro acordos, dois memorandos e três contratos empresariais.

No topo dessa parceria está o Acordo de Cooperação Económica, Científica e Cultural, assinado a 26 de Abril de 1983.

O documento definiu o quadro jurídico regulamentador da cooperação bilateral e instituiu a Comissão Mista que teve a última sessão em 1992, em Bruxelas.

Angop