Ministério das Relações Exteriores
Política

Angola e Venezuela acordam supressão de vistos

O instrumento jurídico foi rubricado pelos ministros angolano das Relações Exteriores, Manuel Augusto, e venezuelano do Poder Popular e das Relações Exteriores, Jorge Alberto Arreaza, no quadro da visita que este último efectuou a Angola entre terça e quarta-feira.


Na ocasião, Manuel Augusto manifestou a pretensão do Governo angolano de fortalecer, cada vez mais, os laços de amizade e de cooperação entre os países e povos, principalmente nos domínios económico e social.


Para o ministro, a Venezuela desempenha um papel preponderante nas organizações regionais e internacionais, podendo Angola fazer um aproveitamento objectivo, no quadro da cooperação Sul-Sul.


No quadro das suas responsabilidades regionais e internacionais, referiu o governante, Angola tem desempenhado o seu papel na liderança de questões atinentes à prevenção e resolução pacifica de conflitos, em especial na Região dos Grandes Lagos (RDC, RCA, Sudão do Sul e Burundi).


Manuel Augusto considerou fundamental a diversificação das relações de cooperação entre os dois países.
Na sua intervenção, o diplomata venezuelano manifestou o interesse do seu país em impulsionar a parceria existente, sobretudo no sector dos petróleos.


Durante a sua estadia em Angola, o ministro do Poder Popular e das Relações Exteriores da Venezuela foi recebido, em audiência, pelo Presidente da República, João Lourenço.


Depois de Angola, o Chefe da Diplomacia Venezuelana seguiu à República do Congo, no quadro do seu périplo por países africanos.


A República Bolivariana da Venezuela é um país localizado no Norte da América do Sul, com uma área total de 916.445 quilómetros. Possui uma economia mista, baseada no mercado dominado pelo petróleo que responde cerca de um terço do Produto Interno Bruto (PIB).


Venezuela mantém desde 2005 relações diplomáticas plenas com o continente africano, onde Angola é tida como uma das parceiras de grande importância.


As relações entre os dois países foram impulsionadas pela visita do então Presidente da Venezuela, Hugo Chávez, a Angola, em Agosto de 2006.


Em Julho de 2017, a Venezuela e a Angola assinaram, em Caracas, dois memorandos de entendimento para desenvolver a extracção de diamantes em território venezuelano.


Os acordos contemplam a cooperação para a formação de mineiros profissionais venezuelanos na produção de diamantes, a nível artesanal, semi-industrial e industrial, a optimização de processos de comercialização de diamantes em bruto, lapidação, organização, tramitação e dinamização de procedimentos com base no Sistema de Certificação do Processo Kimberley, que controla as exportações de diamantes e a comercialização legal no mercado internacional.